Esta pergunta é mais importante em alguns dias do que em outros.

Como posso me sentir melhor hoje?

Idealmente, eu consegui encadear uma tarefa atrás da outra, retroalimentando e administrando bem minha pouca energia. Quando isso acontece, ao fim do dia estou exausto, mas com sensação de dever cumprido.

Uma pena isso não ser uma regra e acontecer sempre. Existem dias que não rola, como ontem.

Nada do que eu fiz ficou bom, larguei coisas pela metade por achar tudo ruim, mal feito e, com perdão do meu francês, cagado.

E aí, então como eu posso me sentir melhor hoje?

Tenho algumas opções:

– Posso me empanturrar de doce, ganhar alguns minutos de energia e depois ficar mais cansado ainda;

– Posso comer um belo X-bacon, e ir para a cama ver TV, só para amanhã ficar puto com a balança e comigo mesmo por ter largado tudo;

– Posso ir dar uma volta. Funciona bem quando estou desenvolvendo algo criativo. No meio da caminhada acabo clareando as ideias. Mas não funciona sempre, pois posso dar uma cochilada depois do banho e perder o dia;

– Posso ouvir música.

E isso sempre funciona.

Acontece com muita gente. A música tem o aparente poder de conseguir reprogramar o cérebro.

Sendo apaixonado por ela, tendo-a estudado por muitos anos, e nunca ter tentado entende-la racionalmente, a música é parte fundamental de mim, assim como qualquer dos meus órgãos vitais.

Funciona diferente com cada um que também têm essa ligação, mas comigo, é mais ou menos isso:

– Se eu quero afogar a raiva, ouço o som mais pesado e nervoso possível, do Thrash ao Black Metal. Parece paradoxal, mas eu não estou buscando racionalizar, estou buscando extravasar um sentimento para que ele me deixe em paz;

– Se eu quero me jogar pra cima, hard rock, AOR, Heavy Metal Tradicional

– Se eu quero aplacar a angústia, blues.

Faça este experimento. Pegue suas músicas favoritas e ouça-as em momentos diferentes, de preferência quando você estive precisando daquela carga extra, e veja o efeito. Anote, faça playlists, e use sem moderação.